5 formas diferentes de fazer café

O café é, sem dúvida alguma, uma das melhores bebidas que a humanidade já desenvolveu. Estimulante natural de grande potência e uma das mais queridas bebidas do Brasil, o café, sem dúvida, está nos corações de muitos.

Ao contrário do que muitos pensam, a forma como o café é torrado, moído e passado diferencia muito seu sabor final, inclusive a qualidade do grão e a sua consistência.

Se você realmente ama café e quer experimentar novos conceitos, veja as dicas que oferecemos para você, conhecer novas formas de fazer café e alguns diferenciais que você deveria experimentar eventualmente!

Café de coador de pano

Esse modo de fazer café não é tão incomum assim, mas com certeza faz uma diferença enorme para quem está acostumado com o coador de papel, já que o coador de pano vai pegando o sabor do café e deixando-o mais encorpado e interessante com o passar do tempo. Se você gosta de café mais forte, no longo prazo você terá uma experiência cada vez mais interessante com o seu café.

Café espresso e café de cápsula

Estes dois tipos forma colocados juntos, pois, apesar da grande discordância, as cafeterias de cápsula do mercado atual são indistintamente inspiradas no processo do café espresso. Com certeza o sabor não se compara entre um café espresso fresco e os cafés de cápsulas, mas a praticidade e a variedade desse segundo tipo fazem deles um verdadeiro desejo de consumo para muitas pessoas, até porque já existem também cápsulas retornáveis, como cápsulas dolce gusto, que podem ser preenchidas com o café de sua preferência e expandir ainda mais a sua experiência com a sua cafeteira de cápsula,como uma cafeteira dolce gusto automatica.

Cafeteira italiana

A cafeteira italiana ainda é um recurso pouco usado por pessoas mais novas, sendo que antigamente (especialmente em cidades com grande influência Italiana, com São Paulo) ela era bem mais comum, sendo um artefato recorrente “na casa da vó”. A Cafeteira Italiana trabalha com um sistema diferente de coagem do café, já que a água é fervida embaixo do café e então condensa na tampa fria da cafeteira, voltando ao estado líquido e se misturando com o café quando retorna para baixo. Produz um café diferenciado, que pode ser mais ou menos intenso dependendo do tempo de fervura da mesma e criando uma diferenciação no hábito de degustar o café.

Prensa francesa

Pouco usada no Brasil, mas surpreendentemente interessante, a prensa francesa é um tipo de cafeteira que usa a pressão de forma muito mais artesanal do que a máquina de espresso. Ao colocar o café no fim de um êmbolo, que é preenchido de água já aquecida e então pressionado contra o café, oferece uma versão mais suave da bebida, ao mesmo tempo em que pode absorver características mais marcantes de um tipo de pó específico.

Cafeteira Turca

A mais simples e a de uso mais interessante, a cafeteria turca envolve um preparo muito mais ritualizado e um pó de café especial (muito mais fino do que o geralmente usado), que acaba produzindo uma das experiências mais potentes e robustas quando o assunto é café.

Quantas dessas você já experimentou? Quais ainda faltam? Comente com a gente!